Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2012

Vida Longa

Imagem
Ainda lembro-me dos sussurros das suas palavras, Lembro-me daquela canção, E assim vou-me ao campo de batalhas, Sentindo em minha  boca, O gosto salgado das minhas lágrimas.
Já me cansei de levantar minha espada. Matando dragões, Orcs, Exterminador de fadas.
Já servi a grandes reinos Já beijei a mão de incontáveis rainhas Já vi a morte levar meus companheiros E poetas contar suas mortes de forma tão bonita E trágica
Vida longa a memória, À rainha das histórias. Feita de pena e papel  Abençoada em sangue Adocicada com mel.
Agora você Pode deitar sua cabeça So quero um lugar para que você possa rezar. Que não tenha a poeira Dos anos, e o cheiro da matança Que os anjos possam te confortar.
Vida... Vida longa ao futuro. Ainda penso que isso seja um sonho Mas que o meu amor te proteja Eu juro. Enquanto as estrelas da noite brilhar. A vida que corre em minhas veias Ira te levar para um lugar seguro
Longa vida É  o que grito para escuridão.  Um desejo tolo no meu coração.
Ainda posso sentir o cheiro da sua deliciosa c…

Breve Prece.

Imagem
Já posso ver a beleza de um novo dia, Meu coração não se cabe de alegria. Minhas musicas viram pura poesia, Num sentimento de partilha.
Deus nos dar vários dons, Transforma o mau no bem. Com você vou mais além.
Dá-me força na fraqueza, Coração cheio de  pureza, Aflora minha destreza, Sei que você não haverá tristeza.
Não importa se é pobre ou rico, A beleza é eclética. Transforma o feio em bonito, O deficiente em atleta.



Mundo vazio

Imagem
Meu mundo está vazio Minhas lágrimas secaram  E o medo da morte me consumiu Se pelo menos tivesse a idade de Cristo Dois mil anos de sabedoria
Meus olhos se fecham para realidade O buquê de rosas mucha e cai ao chão Palavras de agonia povoam meus pensamentos A vida passa por entre meus dedos cansados Posso senti-la... Tocá-la... E o mundo é essa bola de gude que rola pelo universo afora
Memórias... Tudo o que tenho são memórias E o perigo mora ao lado A noite fria me convida a bailar com sua nevoa Sou tão frio quanto ela...
E o medo bate-me a porta Seria tão fantástico, tão magistral Se as palavras que formam em minha boca ensangüentada, Despediam-se de uma forma tão especial E meu grito  de dor fosse abafado pela tempestade impiedosa
Ninguém pode prever os enigmas do tempo Se pelo menos ele retrocedesse, Se seu amor fosse minha companhia Talvez um pingo de felicidade reinasse E meu mundo seria menos vazio.

Gosto

Imagem
Gosto de admirar a beleza da lua e as estrelas Gosto do seu riso de menina solteira Do Rock´n´roll, my baby! Da expressão: café com leite.
Gosto da temática poética Das vantagens de ser poeta Gosto de virar meu mundo ao aveso Enquanto escrevo meus versos.
Gosto do som suado nos meus ouvidos Do seu jeito doce de bailar. Gosto dos seus carinhos, Como é bom ter a quem amar.
Gosto da cidade E do calor desta tarde Gosto do som da bola E de tudo o que está a minha volta Gosto do desenho da minha janela E gosto do ritmo dos passos dela
Gosto dos efeitos do universo Da capa, Do que está escrito no verso Gosto deste ritmo frenético E dos medos e do que me faz amar Do que mais posso gostar?

você e sua magia.

Imagem
O teu sorriso é a peça chave da minha alegria. O teu canto revive em meus ouvidos As mais belas fantasias. Ainda busco em teus braços o mesmo carinho, A mesma energia.
Os teus passos trilham meu caminho. Vejo em seus olhos um futuro divino, Procurando como um menino apaixonado. Cheio de medos, esperanças e mimos.
O teu beijo tem um gosto maravilhoso, Gosto doce dos devaneios mais bonitos. Ei de cantar hinos de amor em seu nome Pois seu coração é nobre, Sua palavra é forte, E assim não me sentirei sozinho.
O teu amor é mais valioso que ouro e prata. Mais glorioso que as mais terríveis batalhas. Juro que farei tudo para conquistá-la.
E serei feliz. Tendo você esquentando meu coração em noites gélidas. E o teu sorriso em tardes ensolaradas.

Decadência de um anjo

Imagem
Desinseriram-me os direitos
Rasgaram-me a farda
Vivaram-me do avesso
Contaram-me as asas

E pro inferno eu fui
Solo pobre, água ruim
O diabo o constitui
Anjos decaídos
Decaído eu fui

A dor, o lamento
Tudo para o diabo e seu contentamento
O riso, a alegria
No inferno não podia
A vida arde em brasa
Cortaram minhas asas
Grande desgraça
O inferno coroe e mata.

Tiraram-me as vestes

Rogaram-me doenças e pestes
E pro inferno eu fui
Servo do Senhor excomungado
Servo do diabo por mal agrado
anjos decaídos
Mal vestidos
Decaído eu fui

Línguas de Fogo

Imagem
Oh! Criaturas Rastejantes De olhos marcantes De sorriso seco Enchendo as feridas de sofrimento.
Roguem criaturas infernais Roguem por perdão Rastejem para pagar seus pecados capitais Criaturas cobertas por egoismo Feita de ossos ocos De boca pecaminosa Vazias de espirito.
Queimem suas miseráveis no fogo e de suas cinzas criarão um mundo novo Pragas terrestres Machucadas por seus atos enfermos Quebram as regras Pois nenhuma conduta é correta.
Criaturas malcriadas De febril sede de capitalismo Sangrem E desse sangue criarei um novo idealismo Criaturas cheias de defeitos e erros Abominável cortejo de pragas enfermas Saciarão sua fome e sua sede Quando descobrirem a felicidade de viver.

Los - Rammstein ( tradução)

Imagem
Estávamos sem nome E sem canções Direito sem uma palavra Nós nunca fomos mais uma vez Algo singless Ainda estamos Mas não em silêncio Você pode nos ouvir, mas Depois de uma rajada de vento A tempestade passou Simplesmente sem precedentes Já era tempo
Fora Ficaram mudos Então, muito chocado E muito impotente O que tinha acontecido Um pouco atordoado E garantias Sem expressão Este será Censurado Ela disse que sem razão Piedade sobre a música Assim, sem vergonha Isso deveria ser proibido É estúpido O que eles tentam há Desagradável Como se faz música É impossível Pointless Desamparado Você é Deus
Fora Estávamos sem nome Temos um nome Ficaram em silêncio As palavras foram Algo singless Ainda estamos Mas não em silêncio Você ouve Nós não somos perfeitos Apenas um pouco infundada Você vai silenciosamente Nós nunca ir Estávamos sem nome E sem canções Direito sem uma palavra Nós nunca fomos mais uma vez Algo singless Ainda estamos Mas não em silêncio Você pode nos ouvir, mas Depois de uma rajada de vento

Existência

Imagem
Há um poeta Há um menino Há um verso Há um livro É da sua natureza Murmúrios e arrepios
Há uma folha Há um papel Há uma caneta Que me leva ao céu
Há uma tristeza Há uma esperança Num sorriso No coração de uma criança
Há o medo Há o desespero Há a solução Há o coração
Há a morte Há a vida Há uma existência Nela contida.