Poeira Pelos Cantos.





Acho que fico juntando poeira pelos cantos.
E meu teto de vidro finalmente se quebrou,
Acho que estou invisível pela verdade
Coberto pelo seu manto.
O meu olhar se restringe ao verso
Inverso, Senhor Doutor.

Acho que segredos não batem à porta.
E fica sempre um grito ao meio da garganta.
Adjetivos recortados em revistas
Jogados janela a fora.

Acho que a vida é mais que elogios
E não me encaixo na sua dialética.
Pois ao ouvir seu nome sempre me vem um calafrio,
E minha estante está cheia de vida poética.

Acho que fico juntando poeira pelos cantos.
Dessa magia não me extrai encantos
Vamos sair. Qualquer balada é boa.
Para uma noite tão fria
Um gole de uísque em minha boca,
Aviva-me minha imaginária alegria.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Coisas Boas

Resenha : Os Crimes do Mosaico - Guilio Leoni