Cale-se



Calam-se as vozes
Calam-se o tempo
Calam-se as mortes
Fei-se o silêncio.

Os seus olhos de pura maldade
Destilam veneno.
A maldição da idade
Não se traga  em seus seios.

Calam-se os mares
Calam-se os ventos
Calam-se os ares
Fei-se sofrimento

A loucura em partes,
Juntam-se em forma de medo.
O olhar de medusa em sua face
Estampa os mais sórdidos desejos

Calam-se o amor
Calam-se os sentimentos
Calam-se a dor
Que inspiram esse momento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Coisas Boas

Resenha : Os Crimes do Mosaico - Guilio Leoni