Mug.




Mug.

Poderia ter tudo,
Mas preferi jogar tudo fora,
Como um copo de bebida amarga,
Que se esvazia e sasseia a fome de novas coisas.

Eu poderia ir ao seu casamento.
Mas preferia ficar quieto.
Chorando no cimento
Interpretando mais um míope ciumento.

Eu poderia estar na sua formatura
Bebendo e comendo às suas custas.
Mas preferir ter um trabalho incompleto.
E não tive capacidade para pedir desculpas.

Eu poderia estar no seu jantar
Mas a vida é algo frágil,
Bobagem!
Muito curta.
Para fica sentado no sofá
E viajar num livro de aventuras.
Criei ilusões,
E agora, não sei sair das minhas loucuras.
Por favor apague a luz,
E deixe eu esvaziar minha cota de luxurias.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Coisas Boas

Resenha : Os Crimes do Mosaico - Guilio Leoni